21/05/2015

Cem Soldos, uma aldeia que aprende e se recria

A propósito da reunião ontem realizada na Escola, o Miguel Costa enviou para a Associação de Pais um texto seu a propósito de uma visita a Cem Soldos:

Texto de 30 de Março, a propósito da minha primeira visita a Cem Soldos e de uma conversa como o Miguel Atalaia e com o Horácio acerca da aldeia, da sua escola, e dos futuros possíveis e necessários.

Cem Soldos, uma aldeia que aprende e se recria

Estivemos em Cem Soldos, onde tivemos o prazer de conversar com os nossos amigos Horácio e Miguel Atalaia. Conhecemos as instalações do Sport Clube Operário de Cem Soldos (SCOCS) e ficámos encantados com uma aldeia que aprende e se recria dando verdadeiro significado à palavra comunidade.





Cem Soldos é uma aldeia com cerca de 1000 habitantes que fica a 5 Km de Tomar, e tornou-se conhecida pelo seu festival “Bons Sons”. A característica deste festival é ser organizado e produzido pelos habitantes da aldeia e as receitas do festival reverterem inteiramente para o desenvolvimento de iniciativas sociais e culturais que beneficiem a Aldeia de Cem Soldos e a qualidade de vida da sua comunidade. Destas iniciativas os projectos “em mãos” da aldeia são a conclusão “casa aqui ao lado”, um centro de produção cultural e residência artística de apoio às muitas iniciativas que têm sido desenvolvidas em Cem Soldos e o “Lar Aldeia” uma iniciativa comunitária que pretende dar aos muitos idosos de Cem Soldos a possibilidade de permanecerem nas suas casas ao invés de irem para um lar. Esta iniciativa envolve o apoio domiciliário mas também as adaptações necessárias às suas habitações por forma a permitir a mobilidade adaptada.

Tudo isto feito pela e para a comunidade, em que o SCOCS, dirigido por jovens da aldeia, toma um papel dinamizador, com uma oferta cultural e artística intensa e variada e, na nossa opinião, empolgante.

Cem Soldos em festa

Nestas nossas voltas em torno da educação, tomámos contacto com o Miguel Atalaia, que está preocupado com o risco que a escola básica de Cem Soldos corre risco de encerrar por falta de alunos. Neste momento restam cerca de vinte, numa turma única, do 1º ao 4º ano.

Escola básica de Cem Soldos

Sendo o ensino feito através do “método tradicional”, a heterogeneidade é um problema, e a insatisfação da população cresce. A solução mais fácil para alguns pais parece ser transferir os alunos para Tomar, onde a dimensão do parque escolar permite turmas com um único nível de ensino, mas a aldeia está mobilizada em encontrar, como aprendeu a fazer nos últimos anos, uma solução própria, dentro de portas. Têm-se mobilizado e discutido dificuldades e soluções, entrado em contacto com quem pode contribuir com outras visões, outras experiências. Um desafio que não é de fácil resolução, mas que conta para já com a dinâmica única de uma comunidade que nos fascinou, e com a ajuda de bons amigos, entre os temos orgulho, passe o pretensiosismo, de nos contar. Temos a certeza que a experiência que trazem do seu trabalho comunitário, no sentido oposto ao assistencialismo que grassa por tantos outros lugares, encontrará os meios e as formas de dar à escola e aos alunos de Cem Soldos uma escola de excepção, uma escola que é uma aldeia. E como diz o provérbio, é necessário uma aldeia para educar uma criança. Caro Miguel e Horácio, e restantes Cem Soldenses, vocês já têm a aldeia e a experiência, tudo o resto é um quase nada que, temos a certeza, saberão resolver!

A Cem Soldos e às suas gentes enviamos um grande abraço e um até já!


Imagens retiradas do blog de Cem soldos, do site panoramio e da página do FB da SCOCS
(https://www.facebook.com/pages/S-C-O-C-S-Associa%C3%A7%C3%A3o-Cultural/207731365911815)